Segunda-feira, 20 de Novembro de 2006

Realidade XXI

    Cinco anos se passaram desde o século passado, Portugal viu finito o seu império com a entrega de Macau em 1999, foi o último grande acto internacional Português. O início do 3º Milénio viu um começo negro, logo em 2001 a destruição das duas torres comerciais em Nova Iorque, três guerras, a invasão do Afeganistão em busca do regime Talibã e de Osama Bin Laden , a invasão do Iraque em busca do Saddam Houssein , e recentemente a guerra Israel - Hezzbolah no Líbano. Pode-se dizer que os Estados Unidos da América à semelhança da guerra do Vietname perderam estas também, pois Bin Laden ainda está a monte algures nas montanhas do Afeganistão ou do Paquistão, o pretexto da invasão do Iraque - As ditas: Armas de destruição maciça - nunca foram vistas, e a não entrada de Teerão na guerra do Líbano fazem hoje o presidente Bush tentar flanquear a razão e não há-de tardar muito a assistirmos a uma invasão do Irão, motivo: Urânio. Já são quatro os intentos de controle da região do Tigre e Eufrates, para alimentar uma nação capitalista é necessário bastante proveito e nada melhor que os ricos solos do médio oriente. Entre isto encontra-se a conivência da Portugal e da Europa interessada principalmente a Inglaterra pela abundância do Ouro Negro.
Petróleo    Só nestes cinco anos milhares de civis e soldados perderam a vida, e para além dos "estragos civis" à ainda a lamentar as inúmeras perdas quer de habitação quer de infra-estruturas em países que é impossível a reconstrução rápida e que inevitavelmente se sucede um atraso de anos.    Não se conta ainda as razões morais, porque em todo o mundo ainda se discute a moralidade do ataque de Israel quer ao Líbano quer aos Palestinianos e sobre o direito histórico sobre a região.
    Imaginemos que agora existia um povo em muito diferente em termos culturais a Portugal e sem mais nem menos determina-se que o Alentejo deixa de pertencer a Portugal e passa a ser um estado novo?  Literalmente foi isso que os Estados Unidos em a coberto das Nações unidas fizeram em relação ao estado de Israel. Implantaram por cima da palestina um estado que ainda para mais é diferente da sua cultura, e Israel ainda toma Jerusalém para capital sabendo que se trata da uma cidade especial, isto só mostra um verdadeiro desrespeito pelo povo que lá habitava. E de repente os perseguidos passam a perseguidores. Mas esta má característica das Estados unidos já vem de há muito, quem estudou história sabe do conflito que opôs o México aos Estados Unidos claro está iniciado pelos EUA e que a tal pretexto toma metade da área territorial Mexicana e também da guerra provocada pelos EUA conhecida como conflito Hipânico-americano que fazendo o papel de santo os Estados Unidos entraram em guerra com a Espanha para ajudar cuba a conquistar a sua emancipação da coroa de Espanha e que como é normal nos EUA, o único objectivo era simplesmente o do controlo do mar das Caraíbas, mas tal sorte não o levou o vento a Washington, pois hoje os EUA tem um rival grande de tamanho pequeno que é o regime comunista de Cuba a provar mais um fracasso da politica externa dos EUA!
    Voltando à actualidade do século Vinte e Um, vivemos numa sociedade altamente consumista, e agora que o natal está à porta podemos observar impávidos e serenos ao bombardeamento dos anúncios às barbies " aos nenucos " etc. , não que eu rejeite  o meu PC ou a minha consola, não, trata-se de consumir sim e até porque consumir faz bem, mas com regra e respeito mútuo e abrindo as portas a todos os humanos e não ao muito poucos que concentram a riqueza nas suas mãos!
    E por falar em jogos faz uns dias ouço no Telejornal não faço ideia de qual se o do estado ou da concorrência , mas dizem respeito a jogos violentos, vamos lá a ver, eu próprio tenho jogos violentos em casa, mas não e por isso que ando à "pancada" às pessoas, e peço perdão mas a velha conversa de que os jogos moldam a mente das crianças e blá-blá-blá , não é verdade, a culpa está na sociedade actual, onde a criança raramente vê os pais é verdade e quase impossível que os alunos tirem boas classificações, porque se seguirmos à risca o dia-a-dia de um aluno reparamos que: se vive fora da cidade levanta-se de noite, às 5H e tal, 6H, os da cidade um pouco mais tarde por volta das 7 Horas dependendo do local, e vão para as aulas, nisto tem conteúdos mal programados por exemplo um aluno de economia deveria ter um ensino de matemática virado para a área , pois tem sentido estudar ramos da matemática como a geometria analítica enquanto que do ramo das probabilidades e estatística presentes em muitos aspectos económico e não só não são tema fundamental, mas termina a aula e vai ter Filosofia que é uma boa disciplina mas não oferece vantagem competitiva, convenhamos e digo na economia pois é área que estudo, é irrelevante o estudo da filosofia na economia, não tem razão de ser, era mais plausível uma disciplina de história do que uma de filosofia, pois história permite ver as alterações mundiais, em torno dos fluxos migratórios e económicos, mas terminada a aula tem educação física que apesar de não gostar é necessária o que não é necessário é o nota da disciplina entrar para a média final de curso, nisto o aluno almoça e à tarde tem mais uma duas ou três disciplinas, chega a casa e do pouco tempo que dispõe para fazer outras actividades tais como jogar que também é importante ter uma relação activa com a família e com a natureza, ter algum hobby, não pode fazer pois mal cumprimentou os pais tem de ir fazer os deveres das disciplinas, estudar para um teste e outro e até fazer trabalho desta ou da outra disciplina, e isto porquê? Porque há professores  que teimam em mandar TPC's   e trabalhos deixando o aluno desinteressado na escola, em casa e sem a componente cultural e efectiva além do que é bombardeado com disciplinas que não dizem nada a uma eventual profissão na área em que está.
   É necessário mudar isso, isso e muito mais!
TEMAS:
PC Blog: Virgilio Alves às 17:45
Link do Artigo | Comentar | Adicionar aos Favoritos
Segunda-feira, 13 de Novembro de 2006

Era uma vez...

    É um facto, muita gente vive ainda no faz de conta. Faz de conta que está tudo bem, faz de conta que nada se passa, faz de conta que virão dias melhores, faz de conta que faz de conta.
    A ilusão de um futuro promissor, a ilusão de vários anos de que o PS ou o PSD resolveriam, mas afinal volvidos 31 anos desde as primeiras eleições o povo iludido, só se tem desiludido, e lá vem o faz de conta, faz de conta que o PS resolve, faz de conta que o PSD resolve. É está a cantilena melancólica do Povo Português, e nós dizemos, a culpa é do governo e fazemos greves e reclamamos e clamamos por melhores direitos. Mas a cada dia que passa o Povo iludido e desiludido é mais iludido com coisas que o fazem distanciar-se da actualidade do seu país, sejam Floribelas, sejam EUROS 2008, sejam Morangos com açúcares; mas não se pense que o Povo não tem culpa, tão culpado é o ladrão como aquele que o vê roubar, e o Povo por vezes o mesmo Povo que faz greve é o que compactua na hora do voto com o estado da situação, porque sabe-se lá porquê, aos olhos do Povo parece que desde há 31 anos só se pode confiar no PS e no PSD. Ou porque o padre falava mal dos comunistas ou porque o filho dizia que o PSD é que era bom ou até mesmo porque a vizinha vota no PS, o Povo esse mesmo que é explorado pelo governo num acto de suicídio colectivo faz chegar ao poder aqueles que há poucos dias atrás nem os podiam ver à frente. A falta de informação é generalisada, mais vale estar num baile a ouvir pimba do que ler o programa das instituições que vão a votos amanhã, mais vale uma T-shirt do PS que uma esferográfica da CDU, é muito melhor um outdoor do PSD que que um cartaz da CDU. Mais vale o "Zé" Sócrates que é mais bonito que o Jerónimo "qualquer-coisa", mais vale ir ao futebol que participar num debate sobre o orçamento de estado. E a mesquinhês de certas pessoas é tanta que, um conterrâneo pode estar para perder a sua reforma, não liga, mas, quando a falta da sua própria reforma bate à porta, já apela para a união com o conterrâneo. Que querem as pessoas afinal? Uma república das bananas onde espera-se que o dinheiro caia do céu e reza-se por uma vida melhor? Continuar a viver no faz de conta? Votar nos mesmos que em 3 décadas nada mudaram?
    Não creio que seja o que o Povo quer, no entanto é o que está a fazer, é preciso levantar a moral e renascer para a vida pública para salvar este país antes que o mesmo não tenha salvação. E não fiar que os comunistas são estes e aqueles porque verdadeiros criminosos são quem em nome do socialismo nada fizeram e muito pelo contrário adoptaram políticas de direita. Porque se é verdade que a URSS foi uma ditadura não se esqueçam que a ideologia que vocês Povo estão a compactuar também teve imensas ditaduras, das quais o Nazismo, o Fascismo e o Salazarismo são exemplos.
    Sei que este texto não irá ser lido por muitos mas talvez quem o ler possa pôr as mãos na consciencia e dizer: sim eu fiz bem ou não, mas vou mudar. E aí será uma das pequenas vitória que pouco a pouco vão mudando este país!
TEMAS:
PC Blog: Virgilio Alves às 18:28
Link do Artigo | Comentar | Adicionar aos Favoritos
Sábado, 11 de Novembro de 2006

Estranha política... [reforma Agrária]

    Seguindo o anterior post cá vai mas um artigo da nossa constituição que merece uma reflexão:
Diz o artigo 94º da constituição da República Portuguesa:

"Parte II Organização Económica

Título III Políticas Agrícola, comercial e industrial

Artigo 94º - Eliminação dos latifúndios

1. O redimensionamento das unidades de exploração agrícola que tenham dimensão excessiva do ponto de vista dos objectivos da política agrícola será regulado por lei, que deverá prever, em caso de expropriação, o direito do proprietário à correspondente indemnização e à reserva de área suficiente para a viabilidade e a racionalidade da sua própria exploração.
2. As terras expropriadas serão entregues a título de propriedade ou de posse nos termos da lei. a pequenos agricultores, de preferência integrados em unidades de exploração familiar, a cooperativas de trabalhadores rurais ou de pequenos agricultores ou de a outras formas de exploração por trabalhadores, sem prejuízo da estipulação de um período probatório da efectividade e da racionalidade da respectiva exploração antes da outorga da propriedade plena."

    A única pergunta o que fez o PS em relação a isto?
    A resposta é clara: Absolutamente nada, antes pelo contrário, cancelou o processo em curso da Reforma Agrária. Que traz hoje graves problemas económicos, sendo eles: Baixa produtividade, incompetitividade face ao estrangeiro, inaptidão territorial, continuação das práticas tradicionais. Porque a agricultura não foi remodelada a PAC não teve o efeito esperado em Portugal. Hoje Portugal é francamente deficitário no que toca à agricultura tendo de importar muitos bens agrícolas e de pior qualidade. Outra falha prende-se com o facto de que se os agricultores estivessem associados seria mais fácil a defesa deles mesmo através da informação que penetra mais em regimes de associativismo e cooperativismo, a facilidade na aquisição de máquinas traduzindo-se numa modernização da agricultura quer pela junção de fundos quer pela abertura que isso implicaria em termos de credibilidade financeira junto da banca, por fim a eliminação de barreiras e o aumento da área de cultivo resultante da reorganização de produções implicaria um aumento da produtividade. Em suma, só pela informação e modernização Portugal veria aumentada a sua produção e ainda somada uma melhor gestão dos solos levaria a que a produtividade aumentasse significativamente, podendo mesmo fazer frente à balança agrícola deficitária como competir com os outros mercados.

    Estranha política do PS, é uma pena que o povo não veja isso e continue a votar PS!
TEMAS:
Quinta-feira, 9 de Novembro de 2006

Inconstitucionalidade do PS

    É com grande preocupação que Portugal vê a aprovação do OE, mais uma vez vindo do Partido Socialista, (que de social nada tem). E para relembrar factos e artigos gostava de obter uma resposta acerca de algumas perguntas:

    1º No que concerne aos direitos e garantias sociais, apresenta-se o PS e o governo por ele formado de acordo com a constituição?
    R.: Não. O partido Socialista que na prática só é socialista de nome e o seu governo estão muito longe de cumprir por exemplo o artigo 80.º da Constituição da República Portuguesa:

" Parte II - Organização económica

Título I Princípios gerais

Artigo 80.º (Princípios fundamentais) - A organização económico-social assenta nos seguintes princípios:

a) Subordinação do poder económico ao poder político democrático;
b) Coexistência do sector público, do sector privado, e do secto cooperativo e social de propriedade dos meios de produção;
c) Liberdade de iniciativa e de organização empresarial no âmbito de uma economia mista;
d) Propriedade pública dos recursos naturais e de meios de produção, de acordo com o interesse colectivo;
e) Planeamento democrático do desenvolvimento económico e social;
f) Protecção do sector cooperativo e social de propriedade dos meios de produção;
g) Participação das organizações representativas dos trabalhadores e das organizações representativas das actividades económicas na definição das principais medidas económicas e sociais."

Quanto a este artigo podemos enumerar vários aspectos, no que concerne à alínea A, O PS tem vindo ao longo dos tempos a apoioar exactamente o inverso, aplicando uma política de direita que priviligia o capital e põe em risco o estado social implantado com o 25 de Abril, e quer o governo PS queira ou não, o capital em muitos casos suplanta o poder democrático. Este perigo advém de outro desrespeito também para com a alínia B, em que quando cobardemente o PS entre outros engendraram um golpe farsa tentando e levando a cabo os seus intento de fazer crer que se tratava de um golpe comunista (ntes fosse), em relação a esta alínea em que o PS faz marcha a ré no socialismo e fria e calculisticamente suspende e cancela o processo de cooperativismo agrícola, favorecendo a desigualdade e em última análise o retrocesso da agrucultura portuguesa incapaz de competir com a do resto dos países. Vá-se lá saber porquê, o PS apoia e muito a alínea seguinte, a D, incentivando a liberdade de iníciativa empresarial destorcendo um pouco a alínea, pois já não se trata do favorecimento de iníciativa mas sim, a entrega de bandeja da economia ao sector privado dos grandes capitais, arrunado as PME's e outros particulare e obviamente prejudicando mais uma vez o povo Português. E isto vai no seguimento da alínea D, em que o PS come era de esperar nem sequer se lembra nem quer lembrar e finge que nunca a viu, as contiuas privatizações e negociatas envolvendo a EDP, a TAP entre outras beneficiando o grande xapital como o depositado nas mãos de Belmiro de Azevedo entre outros, volta outra vez a não garantir que as empresas fundamentais ao país estejam na mão privada, sem que o povo tenha escolha, e é com uma falsa questão de concorrência ou de libralização do mercado que ilude o povo Português e faz aumentar o fosso entre ricos e pobres e o desmoronamento das finanças públicas. E se não há duas sem três, a alínea E, vai no mesmo sentido outro atropelo à constituição onde a alínea E, é escandalosamente ignorada, o planeamento económico já não é efectuado pelo estado, hoje é o grande capital que molda a economia a seu bel-prazer e o planeamento social obviamente fica para depois, quando estiver saciada a fome devoradora destes poucos homens, e aí é tarde para o povo, poisa já não há espaço para mais, e a resposta do governo é sempre a mesma - a crise. Crise essa provocada pela má gestão e conduta quer responsável quer motral do governo. A alínea F, figura já como uma imagem de um passado longínquo que não passa de uma miragem, graças ao governo PS e a Mário Soares entre outros tanto «Não» socialistas que preferiram, apunhalando o povo português pelas costas, apiar e muito o sector privado e desmantelar quiçá a protecção do sector cooperativo e social. Resta a alínea G, que só não é desrespeitada não porque o PS a cumpre mas porque felizmente ainda há quem lute por melhores salários, empregos e uma sociedade verdadeiramente social.

Virgilio M. A. Alves



Dentro em breve outros atropelos do PS à constituição Portuguesa!
TEMAS:
PC Blog: Virgilio Alves às 19:43
Link do Artigo | Comentar | Adicionar aos Favoritos
Segunda-feira, 6 de Novembro de 2006

Socrates Barreiros

Aqui está o novo sinlge da Governo's band.

    Andava a  "passear pelo youtube" e descobri por acaso este filme:


Lá em São Bento onde moro,
tenho pr'a l'a um ministro,
que faz tudo o que eu mando,
é um bocado sinistro.

Agora que a fez bonita,
Foi vê-lo no parlemento,
contra todas as promessas,
apresentou nosso orçamento.

Eu disse que não iria  os impostos aumentar,
e dentro do possível ía tentá-los baixar,
mas depois das eleições,
que se lixem as promessas,
estou em cima do poleiro,
já mudaram as conversas.


Subo imposto, aumento imposto,
sempre que eu quiser,
que orçamento apertadinho,
só lá vai com um clister.
Aumento cedo, subo à noite,
e às vezes à tardinha,
vou até cortar na pensão da velhinha,
coitadinha!

Subo imposto, aumento imposto,
sempre que eu quiser,
que orçamento apertadinho,
só lá vai com um clister.
Aumento cedo, subo à noite,
e às vezes à tardinha,
vou até cortar na pensão da velhinha,
coitadinha!

O meu brilhante governo,
está numa de contenção,
sou um tipo poupadinho,
não me chamem aldrabão.

O dinheiro é muito pouco,
para o défice combater,
vamos lá a apertar o cinto,
e a deixar de comer.

Sou um bom Primeiro-ministro,
deste país vou cuidar,
se não for com impostos,
vou para a estrada roubar.
A bondade deste povo é maior deste mundo,
os políticos a engordar,
e Portugal a ir ao fundo!


Subo imposto, aumento imposto,
sempre que eu quiser,
que orçamento apertadinho,
só lá vai com um clister.
Aumento cedo, subo à noite,
e às vezes à tardinha,
vou até cortar na pensão da velhinha,
coitadinha!

Subo imposto, aumento imposto,
sempre que eu quiser,
que orçamento apertadinho,
só lá vai com um clister.
Aumento cedo, subo à noite,
e às vezes à tardinha,
vou até cortar na pensão da velhinha,
coitadinha!

Subo imposto, aumento imposto,
sempre que eu quiser,
que orçamento apertadinho,
só lá vai com um clister.
Aumento cedo, subo à noite,
e às vezes à tardinha,
vou até cortar na pensão da velhinha,
coitadinha!

Subo imposto, aumento imposto,
sempre que eu quiser,
que orçamento apertadinho,
só lá vai com um clister.
Aumento cedo, subo à noite,
e às vezes à tardinha,
vou até cortar na pensão da velhinha,
coitadinha!

HEEIII!

In: YouTube, Contra Informação.
TEMAS:
PC Blog: Virgilio Alves às 17:43
Link do Artigo | Comentar | Adicionar aos Favoritos

.: PESQUISA

 

.: Agosto 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
18
19
20
21
22
23
25
26
27
28
29
30
31

.: experiência

Who links to my website?

.: NOVAS

.: Nova casa...

.: Primeiro Aniversário

.: Contra a Limitação de Trá...

.: Quem o diz são eles...

.: A necessidade de mudança

.: O estado do Estado

.: I AM BACK!

.: Assim se vê a for&c...

.: Em relação ...

.: Declaração

.: TEMAS

.: informações

.: intercom

.: internacional

.: nacional

.: outros

.: pcp

.: ps

.: psd

.: sociedade

.: todas as tags

.: ARQUIVOS

.: Agosto 2007

.: Julho 2007

.: Junho 2007

.: Abril 2007

.: Março 2007

.: Fevereiro 2007

.: Janeiro 2007

.: Dezembro 2006

.: Novembro 2006

.: Outubro 2006

.: Setembro 2006

.: Agosto 2006

.: subscrever feeds

blogs SAPO

.: subscrever feeds